Alimentação e o Sono Infantil

Alimentação e o Sono Infantil

Vamos prestar atenção em alguns alimentos que seu filho come?

Esse é sem dúvida uns dos assuntos mais discutidos entre mamães, pediatras, especialistas do sono infantil e nutricionistas atuantes no mundo materno infantil por terem uma série de fatores que estão correlacionados.

O fato é que existe sim a influência da alimentação na qualidade do sono noturno e pensando nisso considero importante sabermos quais alimentos colaboram para um sono mais tranquilo, assim como saber quais alimentos atrapalham.

Algumas dicas e informações são importantes para ajudar nas duas rotinas mais importantes na vida dos nossos pequenos, afinal de contas: “Bebê com sono não come e bebê com fome não dorme. ”

Comer bem para dormir bem!

Você já ouviu falar sobre a pirâmide alimentar? Se não, vale a pena se informar para que você possa investir nessa ideia e proporcionar ao seu filho uma variedade, uma diversidade maior de alimentos na rotina alimentar do seu filho e da sua família!

Um dos segredos para uma boa noite de sono é se alimentar de modo que o cérebro seja “tranquilizado” e não “estimulado” antes de dormir, pois alguns alimentos contribuem para um sono restaurador enquanto outros contribuem para que fiquemos acordados.

E quais são os alimentos amiguinhos do sono infantil?

Alimentos que contêm triptofano (que é o aminoácido precursor da serotonina e melatonina, substâncias indutoras de sono) contribuem para sono. Exemplos: laticínios (leite, queijos, coalhada, iogurtes), produtos de soja (leite de soja, tofu, feijão de soja), frutos do mar, carnes, frango, grãos integrais, feijão, arroz, hummus (ou homus: pasta de grão de bico com semente de gergelim), lentilhas, amendoim e outras nozes, ovos.

Melhor ainda se consumir carboidratos complexos (como grãos integrais) com alimentos ricos em triptofano. Esses carboidratos estimulam a liberação de insulina que auxilia a remoção da corrente sanguínea de substâncias que competem com o triptofano.

Inclua alimentos ricos em vitaminas B: grãos integrais, legumes, fígado, sementes, cogumelos, peixes de fundo de mar, ovos e verduras escuras e alimentos ricos em magnésio: nozes, grãos integrais, semente de girassol, abacate e uva passa.

E quais alimentos são recomendados evitar? (Alguns não só para melhorar a qualidade do sono, mas de uma vida toda!)

Refeições ricas em proteínas produzem o efeito contrário, pelo aminoácido tirosina que estimula o cérebro ao invés de relaxá-lo, ou seja, deixam as crianças alertas e mais dispostas.

Evite oferecer ao seu filho no jantar, antes das sonecas e na ceia, carne vermelha, suína, bacon, linguiça, presunto, bebidas cafeinadas, chocolate, comidas gordurosas e apimentadas, suco de laranja ou outros cítricos, margarina e manteiga, alimentos com aditivos e conservantes artificiais, glutamato monossódico, bebidas carbonadas (como refrigerantes), carboidratos simples (arroz branco, batatas, pão branco, farinhas refinadas em geral) e açúcares refinados

Alguns alimentos podem criar problemas de sono, por causar indigestão e gases, e agravar o refluxo nas crianças que sofrem desse mal. Outros têm efeito estimulador no sistema nervoso.

Além disso as refeições energizam e aumentam o metabolismo e por isso deve-se evitar jantar cerca de duas horas (tempo médio para digestão) antes de ir para a cama.

Ideias para implementar uma dieta que contribua para um sono melhor:

  1. Tenha comidas saudáveis em sua casa e não compre guloseimas ou alimentos pouco nutritivos. Assim, quando seu filho estiver com fome, você pode oferecer somente o que é saudável e nutritivo.
  2. Nunca use doces como recompensa ou consolo ao seu filho.
  3. Ofereça bastante água durante o dia, pois até uma desidratação leve pode trazer sentimentos de ansiedade e contribuir para problemas de sono.
  4. Coma mais carboidratos complexos do que processados (incluindo frutas e legumes crus). Grãos integrais devem ser parte diária da alimentação da família.
  5. Certifique-se de que seu filho consome cálcio suficiente. Baixos níveis de cálcio podem causar irritabilidade e nervosismo. As fontes de cálcio são leite, iogurte, queijo, brócolis, sementes de girassol, espinafre, entre outros.
  6. Prefira alimentos orgânicos sempre que possível.
  7. Evite gelatinas e outros produtos com aditivos alimentares que também são prejudiciais ao sono.
  8. Sempre que possível, prepare refeições caseiras de ingredientes frescos, pois assim você saberá exatamente o que elas contêm.
  9. Ofereça frutas com farinha de aveia ou aveia em flocos finos, iogurtes naturais (que tal fazer em casa?), queijo branco. Sucos somente das frutas frescas, não ofereça sucos artificiais que têm açucares refinados e outros aditivos químicos, e preferivelmente não antes de 1 ano de idade.
  10. Ao invés dos populares farinhas industrializadas e similares (como mucilon e farinha láctea, que contêm cereais refinados e açúcares, ambos prejudicam o sono), prepare um “super mingau” com cereais integrais, como: arroz integral, milho, soja, cevada, aveia, farelo de aveia, malte, trigo integral, semente de linhaça. Compre os grãos e moa em um processador ou liquidificador, cozinhe em água e acrescente um pouco de leite no final. Não coloque açúcar. Os grãos moídos em casa podem ser estocados no congelador por longo tempo.
  11. Iogurtes prontos com adição de corantes e aditivos, bolachas açucaradas, maisenas e outros não são alimentos próprios para um bom sono. Esqueça a ideia de “engrossar” o leite do bebê para dormir melhor, o efeito será provavelmente o inverso.
  12. Pode ser que algum alimento da dieta do seu bebê esteja atrapalhando o seu sono e a melhor forma de descobrir isso é observando muito bem os efeitos dos diferentes alimentos em seu humor e saúde.
  13. Uma ideia bonitinha: crianças se interessam muito mais em comer as refeições se ajudarem a prepará-las! Então invista num livro de receitas para crianças e se divirtam cozinhando juntos!

  • Facebook
  • Twitter
  • Gmail
Saiba mais sobre a Valéria Ferro, nutricionista materno infantil e fundadora do O Melhor para Seu Bebê:

Como diz o ditado, “que atire a primeira pedra” a mãe que não viu na maternidade uma oportunidade de transformação, no âmbito profissional mesmo, porque não?
No meu caso a mudança aconteceu com a escolha de um novo segmento para atuar dentro da minha profissão. Há 16 anos sou formada em Nutrição, pós-graduada em Alimentação Escolar e em Docência do Ensino Superior. Muitas experiências vividas desde o planejamento de cardápios institucionais, auditorias técnicas, prática da docência em sala de aula e laboratórios, consultorias e por aí vai.

  • Facebook
  • Twitter
  • Gmail
Mas além de nutricionista sou esposa, amiga, ciclista, neta, filha e MÃE, e com a maternidade os sentimentos de compaixão e solidariedade afloraram, surgiu então a necessidade de ajudar, de fazer a diferença na vida de outras mamães, de me tornar aliada numa fase de extrema importância, a fase da Introdução Alimentar, quando seu bebê vai começar a comer. E essa é uma fase cheia de encantos e descobertas para todos, afinal um mundo de sabores, cores e texturas são apresentados ao pequeno, mas também é uma fase quando toda a família pode aproveitar para rever alguns hábitos e se beneficiar com tudo isso.

Assim nasceu O Melhor para o Seu Bebê – Nome carinhosamente escolhido ao projeto que oferece atendimentos domiciliares, onde ensino na prática como fazer as papinhas e comidinhas dos pequenos cuidando da qualidade nutricional, da textura certa para cada fase e de outros elementos importantes nesse processo.

Realizo consultorias, palestras, cursos, oficinas, workshops e aconselhamentos voltados a uma alimentação adequada, variada, diversificada, saudável para o desenvolvimento de bons hábitos alimentares através de escolhas inteligentes. Tudo personalizado por acreditar na individualidade, na cultura alimentar da família, respeitando o desenvolvimento fisiológico de cada bebê.



Share This
WhatsApp chat WhatsApp